A Copa dos arrependidos

COPA
Eu me arrependi. Me arrependi de não ter comprado ingressos, de não ter tirado férias, de não estar hoje em Porto Alegre e amanhã em Manaus. De não poder torcer ao vivo pelo Brasil, pela Austrália ou por Gana. Me arrependi de ter ficado de mimimi na hora errada.

Eu gosto de futebol, mas gosto de várias outras coisas muito mais do que de futebol. E uma delas é Copa do Mundo. Um não tem nada a ver com o outro, ainda que tenha tudo a ver. Cada uma delas marca a gente de um jeito diferente.
Me lembro onde estava em todos os anos desde 1982, quando o Brasil foi desclassificado e meu pai levou meu irmão e eu para tomar um sorvete e esfriar os ânimos. Os ânimos dele. Eu ainda não entendia muito bem a dimensão de tudo aquilo, mas ainda lembro da cara de desconsolo do velho e do silêncio sepulcral da cidade. Acho que foi quando eu descobri o que era decepção. Foi a Copa do sorvete.

Teve um ano, que a gente se reunia na chácara de uns amigos para fazer churrasco e ver todos os jogos do Brasil. Não lembro da escalação, nem quem ganhou a Copa, mas lembro do Ricardo, um menino de franja caída sobre os olhos, por quem eu era apaixonada, que chegava sempre chapado num Fiat 147 rebaixado. Ele mal olhava para mim, mas eu só tinha olhos para ele. Foi a Copa do Ricardo.

Para ler mais, clique:
A Copa dos arrependidos

Sobre mariliz pereira jorge

Sou jornalista, moro no Rio, mas vivo com um pé – e metade do coração – em São Paulo, onde morei até maio de 2012. Adoro o cheiro do aeroporto, de andar em calçadas desconhecidas, de ouvir línguas que não entendo! De dançar até as pernas cansarem e de dar risada até a barriga doer… Não vivo sem Coltrane, cerveja gelada e sorvete no inverno. Adoro gente. Adoro tentar entender as loucuras da alma. Da minha e dos outros. E gosto de transformar isso em palavras, em frases e histórias. Hoje, sou colunista da Folha de S.Paulo, da revista GQ, roteirista de TV e dona do meu nariz. Todo conteúdo publicado no blog é de minha autoria. Fui editora da Folha de S.Paulo, da TV Globo, das revistas Women’s Health e Men’s Health, repórter de Veja, além de ter contribuído para veículos como O Estado de S.Paulo, revistas Nova, VIP, Viva Saúde entre outros. Dei minhas voltinhas no mundo da publicidade, produzindo conteúdo para Brastemp, Consul e Itaú.
Esse post foi publicado em Coisas da vida e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A Copa dos arrependidos

  1. Ailton Silva Almeida Júnior disse:

    Mariliz boa noite,encontrei uma revita da ”Folha em revista de 25 novembro de 2001,com uma reportagem de capa com o segite titulo: “Casamentos Negociados” , relendo uma intrevista ; a de Lupércio e Efigenia ,Fiquei pensativo quando Lupercio em uma de suas concluões Diz: “Eu sou advogado de família, já tratei de mil casos diferentes, e sei que os relacionamentos são muito loucos,as pessoas se separam por nada.” Sera que as pessas se separam por nada mesmo? Gostaria de sugeri que você reaborde o tema, do seginte ponto esses casamentos negociados após passados, 13 anos ainda sobrevivem? se sobreviem tem qualidade abode isso na coluna da Fatima!!! ou numa coluna na Folha mas mim avise . Valeu!!!

  2. Abelardo Silverinha disse:

    Eu não me arrependi nem um pouco Mariliz Pereira Jorge. Copa é coisa de bovino babão, eu gosto de futebol não de Copa, que uma pasteurização do futebol, não tenho interesse em ver gente que não conheço pulando, além de ser um exploração explicita e subevncionada pelos cofres públicos. Existe uma coisa que se chama custo benefício e da Copa para mim é baixíssimo..

  3. Marcelo Adriano disse:

    A grande mídia nacional deveria ressarcir os prejuízos de quem acreditou nela. É claro que a ação foi politica. Ainda bem que os estrangeiros na acreditaram na grande mídia nacional. Essa copa é um sucesso total. Precisamos saber que os interesses dos barões da mídia não são os interesses do povo.

  4. Parabéns, lindo artigo, lindo. Babei ao ler. Tive experiências semelhantes. E também não me preparei para esta Copa, logo aqui no Brasil. Tô muito arrependido. Mas procurando recuperar o tempo perdido 😉

  5. Larissa Lobo disse:

    Mariliz, poderia entrar em contato comigo pelo meu email? Larissa.rocha14@hotmail.com ou me enviar o seu para eu entrar em contato contigo! Obrigada

  6. Pingback: O legado da Copa: Rússia 2018 (#dia6) | Quase Quarenta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s