Coisas que a gente deveria fazer – ou dizer – para viver num mundo menos escroto

1. Diga bom dia.  Boa tarde. Boa noite. Não tira pedaço e não dá sapinho.

2. E obrigada, por favor, com licença. Vale também dentro da boate lotada e barulhenta.

3. Responda a e-mails, retorne ligações e agradeça convites ou presentes.

4. Ligue – no telefone fixo ou no celular – somente depois das 9 da manha e até às 22 horas.

5. Trate bem empregados e prestadores de serviço – de qualquer nível hierárquico, sociocultural, orientação sexual, convicção religiosa, torça a pessoa para o Santos ou para o Flamengo.

6. Só adicione conhecidos no Facebook. E apenas chame no chat se tiver intimidade.

7. Nunca enfie o pé na jaca na happy hour da firma – meio caminho para falar mal do chefe. Ou vomitar nele. Ou dormir com ele.

8. Não pergunte quanto custou a bolsa Prada da amiga. Nem faça cara de inveja ao ver o carro novo de outra. Muito menos solte a pérola “Nossa, está ganhando um dinheirão, hein?”

9. Só entre num lugar depois que a outra pessoa sair. Vale para elevadores, transporte público e relacionamentos com homens comprometidos.

10. Divida a conta em partes iguais em vez de contar os centavos no bar ou no restaurante. Sabe o ditado “Sentou, sorriu, a conta dividiu”?

11. Não peça roupa ou objetos emprestados a outra pessoa. Só vale se for daquelas amigas unha e carne.

12. E jamais devolva a roupa suja, manchada, cheirando cê-cê. Mande para a lavanderia, entregue com uma caixa bem linda de chocolates – e omita a informação de que rolou com ele no gramado da festa com um boy magia.

13. Nunca conte piada em velório. Nem ria de uma.

14. Entre no elevador e cumprimente os ocupantes. Sim, é uma ótima situação para exercitar o bom-dia, o boa-tarde, o boa-noite. Se for o George Clooney, ainda dá para arriscar um “boa sorte”.

15. Coma de boca fechada. Fale de boca vazia. É, a vida está corrida, mas, por mais versátil que você seja, essa é uma situação em que não dá para fazer duas coisas ao mesmo tempo.

16. Lembre-se de que apenas você acha normal tratar seu bicho de estimação como gente. Não espere que o mundo faça o mesmo.

17. Respeite o lugar de idosos no metrô ou ônibus. E as vagas de carro para portadores de deficiência. Não falsifique carteirinha de estudante.

18. Por mais que a vontade mande, nunca ligue de meia em meia hora para saber onde
o namorado está. Não peça a senha do e-mail e das redes sociais dele. Nem fuce no celular do moço.

19. Não desmarque compromissos em cima da hora. Pode ser uma consulta com o dermatologista ou uma visita à avó. Comprometimento e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

20. Use o banheiro da dona da festa apenas para fazer xixi – não para dar um refresh na aparência com o make e o perfume dela…

22. Sempre dê seta para mudar de pista. Nunca pare em fila dupla. Nem em cima da faixa. Não buzine. E muito menos avance em cima dos pedestres.

23. Dê bronca no sem-noção que jogou lixo pela janela do carro. Ou no que grudou chiclete embaixo da mesa (mesmo que você já tenha feito isso). Ou aquele que deixou a bituca de cigarro no chão… Pior, na praia. Aliás, por que as pessoas ainda fumam?

24. Só leve companhia a uma festa se avisar o anfitrião. Aparecer na casa de amigos sem ser convidado também não rola. E sem nem levar um lambrusco… lambrusco é
dureza, hein?!

25. Fique longe do palito de dente se estiver à mesa. Até Gina Indelicada só usa dentro do banheiro. E no escuro, como bem aconselhou Danuza Leão.

Sobre mariliz pereira jorge

Sou jornalista, moro no Rio, mas vivo com um pé – e metade do coração – em São Paulo, onde morei até maio de 2012. Adoro o cheiro do aeroporto, de andar em calçadas desconhecidas, de ouvir línguas que não entendo! De dançar até as pernas cansarem e de dar risada até a barriga doer… Não vivo sem Coltrane, cerveja gelada e sorvete no inverno. Adoro gente. Adoro tentar entender as loucuras da alma. Da minha e dos outros. E gosto de transformar isso em palavras, em frases e histórias. Hoje, sou colunista da Folha de S.Paulo, da revista GQ, roteirista de TV e dona do meu nariz. Todo conteúdo publicado no blog é de minha autoria. Fui editora da Folha de S.Paulo, da TV Globo, das revistas Women’s Health e Men’s Health, repórter de Veja, além de ter contribuído para veículos como O Estado de S.Paulo, revistas Nova, VIP, Viva Saúde entre outros. Dei minhas voltinhas no mundo da publicidade, produzindo conteúdo para Brastemp, Consul e Itaú.
Esse post foi publicado em Atitude e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Coisas que a gente deveria fazer – ou dizer – para viver num mundo menos escroto

  1. Claudia Biscaia disse:

    amei!!! seu blog é um must e o texto de hoje é perfeito, apesar de eu tratar meu gato como filho rsrs (mas só acho que meu amrido tem que considerá-lo gente kkkkk)…

  2. sam disse:

    amei esse post mais do que coca zero!
    mas se todo mundo fosse assim, o mundo seria perfeito!
    utipico mas necessário
    beijos carinhosos!

  3. Bia Doria disse:

    Muito bom Mariliz! E depois do item 10 eu acrescentaria: Se bebeu 19 chopes na companhia de um amigo que apreciou apenas um suco de laranja, tenha a delicadeza de não aceitar que ele divida a conta! rs! bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s